domingo, 22 de janeiro de 2012

Num passado não tão distante

Fotos de Alexandre Resende













Para quem está acostumado com a sentença de decadência e morte das nossas ferrovias, chega a ser chocante como as mesmas eram totalmente diferentes. Não em tempos imemoriáveis, incomparáveis aos dias de hoje, mas em passados próximos.
Um dos exemplos é a linha auxiliar, as fotos acima, apesar de na maioria serem de acidentes, mostram a grande movimentação e variedade de carga trazida pela linha auxiliar no trecho da serra.
Vários tipos de locotivas, instalações todas operacionais, trens turísticos de passageiros, longos trens e minério, grãos, cimento, carga geral...
Toda essa carga foi sumida logo antes da privatização, em dez anos a ferrovia já estava praticamente paralizada, em menos de 20 anos nada sobrou, exceto a pequena parcela que a AFPF luta para manter.

O curioso é que trechos de traçados tão difíceis como a serra do tigre em MG e a serra capixaba recebem atenção da FCA.

Serra do tigre-mg traçado bem pior que o da serra do mar, e com movimento pesado de trens

Não entendo como é possível que  ligando o porto do rio a Minas Gerais, com a MRS saturada de carga e com os grandiosos projetos de Eike Batista tenham deixado de lado este trecho. Onde foi parar essa carga?