quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Trem dá Música

Lembro que em 1955 tínhamos 37 mil km de linhas efetivamente operacionais (3 X mais que hoje). Dos 2.399 municípios brasileiros aquela época, 974 (40%) eram servidos por trens por meio de 3.253 estações + 1.006 pontos de parada + 239 postos de telégrafo, e outros, totalizando 4.664 pontos de paradas de trens. Por sorte alguns ainda estão operacionais ou em uso público (Rodoviária, Posto de Saúde, Centro Cultura etc.). Outros, porém, estão fechados, invadidos ou semidestruídos (vejam algumas fotos anexadas) sem que nenhuma aRtoridade se preocupasse em dar um uso social a um bem público com ficha impecável de relevantes serviços prestados ao País. 

Para chamar atenção a essa questão, a AFPF em conjunto com o MPF e o instituto UNIARTE, estarão promovendo uma série de concertos em antigas estações ferroviárias. Veja detalhes do projeto "Trem dá Música" em: 

Agradecemos a divulgação

Antonio Pastori
Presidente  da AFPF - Assoc. Fluminense de Preservação Ferroviária
afpf.rj@gmail.com
+55 (21) 9911 - 8365

Assine o manifesto  pela volta do trem em Petrópolis e divulgue:



Acima três exemplos de estaçãoes deixadas em ruínas pela RFFSA e FCA, Chiador, Diocleciano Vasconcelos e Porto Novo do Cunha