terça-feira, 6 de setembro de 2011

20 Vantagens da reativação da E. F. Príncipe do Grã-Pará (TEI -Trem Expresso Imperial)


  1. Baixo nível de investimento/km: implantando 6 km de trilhos na Serra, podemos nos conectar aos 49 km de trilhos existentes da Supervia que vão até o Centro do Rio.
  2. Estimula a reativação da primeira ferrovia do Brasil, a E. F. Mauá, tombada pelo IPHAN, com 14 km com trilhos ligando Guia de Pacobaiba à Raiz da Serra, criando uma segunda rota para o TEI.
  3. Demanda garantida: circulam mais de três milhões de pessoas ano no eixo Rio-Petrópolis.
  4. Forte apelo Turístico do rico Patrimônio Histórico e Natural da Cidade Imperial.
  5. Facilita o acesso das sacoleiras às compras na Rua Teresa (malharias), ajuda na revitalização do local e valoriza os imóveis da Região.
  6. Exploração sustentável de novos roteiros turísticos: Ecoturismo na Serra da Estrela, vestígios da Estrada Real, Ruínas Históricas na Bacia do Rio Inhomirim, na Raiz da Serra e no Meio da Serra.
  7. Aumento da mobilidade para o dia-a-dia das pessoas, que diariamente estão sujeitas aos constantes congestionamentos na Rodovia BR-040 (Rio-Petrópolis), Linha Vermelha, etc.
  8. O TEI passa ao lado do Maracanã, e permite conexão para o Engenhão pela SUPERVIA.
  9. Petrópolis pode sediar várias delegações internacionais se facilitar o acesso aos estádios por ocasião dos eventos esportivos que vão ocorrer entre 2011 e 2016: Jogos Militares Internacionais (2011), Copa das Confederações (2012), Copa do Mundo 2014, Olimpíadas 2016, etc.
  10. O trem é ambientalmente correto: não poluente e movido à energia renovável (eletricidade).
  11. Espaço para teste de novas tecnologias (Trem de Levitação Magnética, o  Maglev-Cobra).
  12. Facilidade na integração com demais modais: Metrô, Trens da Supervia e TAV Rio-São Paulo.
  13. A Linha do Trem passa próxima ao futuro Arco Rodoviário do Rio de Janeiro, que vai ligar o entroncamento da BR-040 com a Rio-Magé, até Seropédica (Via Dutra).
  14. Integração,via ônibus, com a E. F. Corcovado trazendo mais Turistas a Petrópolis.
  15. Recuperação ambiental do trecho da Serra, que vem se degradando ano a ano.
  16. Possibilidade de implantação de um Pólo Turístico-cultural “Estação Cidadania”, no Meio da Serra, no local das ruínas da Fábrica Cometa, dando uma nova dimensão para a população local, com a geração de emprego e renda.
  17. Criação de uma nova alternativa de deslocamento Rio-Petrópolis através da bi-modalidade: Travessia da Baia da Guanabara de barca, saindo da Praça Mauá até Guia da Pacobaiba. Lá embarcaria no Trem da E. F. Mauá e, em Raiz da Serra, no TEI em direção à Petrópolis, fazendo a viagem em 1,5 hora, como assim fazia o Imperador Pedro II.
  18. Criação de um terminal na Ilha do Governador (Aeroporto do Galeão), valendo-se da mesma rota acima mencionada.
  19. Trens Regionais são um novo e atrativo negócio, com forte tendência mundial: a implantação do TEI estimula à reativação dos trens que operavam na Serra de Teresópolis e em Friburgo.
  20. É a grande oportunidade de corrigimos um grave e criminoso erro do passado, que foi a erradicação dos trilhos em 1964, eliminando, dentre outras, a ligação ferroviária Rio-Petrópolis.

 Alguns riscos :
         Desvirtuação do projeto em face à outros interesses
         Reação agressiva das empresas de ônibus (guerra de tarifas e sabotagens)
         Insegurança:
        obstrução da linha por vândalos
        acidentes com pessoas que transitam pela linha a pé
        assaltos (risco que também correm os passageiros de ônibus)