sexta-feira, 5 de agosto de 2011

RFFSA TUE série 800, sucessores série 8000

Após a falência geral da indústria metro-ferroviária brasileira, e estadualização quase forçada dos trens de suburbios no estado do RJ, nasceu a cia Fluminense de Trens urbanos- Flumitrens.
A flumitrens, na visão do autor deste blog, foi apenas um tampão para permitir a privatização dos trens de subúrbio do RJ o mais rápido possível.
Nesse cenário, com o país vivendo sob a pesada mão do neoliberalismo, a cia estatal tinha por missão principal inviabilizar de vez a ferrovia para justificar sua privatização.
Todos os programas de melhoria e reaparelhamento que vinham sofridamente sendo tocados pela RFFSA posteriormente CBTU nos últimos 20 anos, foram paralizados, a manutenção se limitou ao puro e simples canibalismo dos trens.

Assim foi feito, no entanto, a degradação chegou ao ponto de afastar investidores que poderiam ser os arrendatários do sistema,
A série 8000 foi uma tentativa de aproveitar os chassis em melhor estado (ALGUNS ENVERGADOS MAS SEM TRINCAS) e substituir os conversores cc/ca a tiristor por IGBTs, não foi muito bem sucedida, os IGBT vira e mexem estouram. continuam sob a marca de nascença de seu antecessor.
Os amortecedores extras de reforço dos truques foram retirados, bem como os areeiros.
Embora estes trens tivessem recebido grandes melhorias em relação aos TUEs da série 800 original, como por exemplo a nova cabine e o computador de bordo, as falhas estruturais e de conceito, aliadas a prática de manutenção zero da supervia condenaram estes trens tal como seus antecessores.
nem mesmo os aparelhos de ar condicionado na cabine, novos, foram mantidos  operando (por isso dos acrílicos da janela escurecidos com insul-filme). É comum no verão os maquinistas conduzirem estes trens com as portas da cabine aberta.
Rodam exclusivamente nos trens paradoressem formar composições, embora possuam MU para 3 unidades.
foram testados , sem sucesso, nos trens diretos para Nova Iguaçu, mas a má condição da via permanente associada aos problemas de quebra dos engates padrão BSI por acloplamento indevido, e as poucas unidades da série disponíveis tornaram a experiência um fracasso.

Dois TUEs série 8000, foram os protagonistas do primeiro acidente do sistema de trens urbanos do rj após a privatização, dois trens paradores se chocaram de frente na estação de São Cristóvão dias após a passage do sistenma para a supervia, a pintura quadricolor, apelidada de trem da disney, havia acabado de ser lançada e um dos primeiros trens a recebe-la se envolveu no acidente.

 
TUE série 8000, modernização feita pela MPE dos CISM série 800.

Vide os descarrrilhamnetos na saída de deodoro para bangu principalmente e nas panes no trecho.
Quanto a frente ela visa maior facilidadde de acesso a eletrônica sob o painel, e visibilidade da linha. Todos os tens mais modernos tem frentes com janelas mais amplas, vide 400M2, 9000, metrorec, trensurb,
metrô rio e SP e CBTU BH.
Dos 20 reformados de 800 para 8000 apenas 6 restam operando.


Com a pintura de transição da supervia, que acabou se tornando definitiva.

Notem o engate danificado



Supervia 1º acidente?

 
Anos depois a série 8000 ainda sofrendo do destino da série 800,
servir de repositório de peças para seus conteporâneos série 900. 


Há/havia algumas unidades da série 8000 e até da 800 escondidas nas oficinas de Deodoro e na SE da eletrificação, localizada na mesma estação e em Três Rios RJ, dentro das oficinas da T'Trans aguardando pagamento por reforma ou revisão geral. Todas destinadas ao desmanche, canibalização de peças e corte como sucata.
Dada a venda da supervia para a Odebrecht, e o colapso do sistema de trens de subúrbio neste último mês, o plano do governo do estado/supervia de substituir toda a frota morta dos subúrbios por trens chineses novos de ser em parte abandonado.
Os trens sobreviventes a grande "limpeza de pátio" feita este ano devem ser reformados em caráter emergencial para garantir a operação da ferrovia até a chegada de todos os trens chineses.
Talvez seja a chance da série 8000 receber a mesma modernização que os trens da série 800 da Metrorec e cumprirem a etapa final de suas vidas operacionais sem sua famosa indisponibilidade.

http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/08/rffsa-tue-serie-800-sucessores-recife.html

http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/07/odebrecht-assume-supervia.html

http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/07/companhia-industrial-santa-matilde-man.html

Matilde: Entre trilhos e estradas, no campo e na cidade » Relatos de Viagem etc.
 
http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=640089

site VFCO: http://vfco.brazilia.jor.br/TU/SuperVia/8000ChF017.shtml

Coleções de Edson vander e Hugo Caramuru via Orkut.