sábado, 2 de julho de 2011

O triângulo de Japerí

A estação de Japerí-RJ já foi um importante entroncamento ferroviário e uma base de operação da EFCB.
Devido ao seu posicionamento aos pés da serra do mar, foi durante muito tempo o ponto de preparação da subida dos trens serra acima, sediando locomotivas de auxílio, e manutenção leve, tanto de equipamentos quanto da via.
Na época da tração a vapor as locomotivas normalmente precisava ser giradas para permitir seu tráfego em em ré durante longos trechos (há excesões como as locomotivas "Ramonas" da EF Leopoldina), para isto as ferrovias construíam triãngulos de reversão.
Japerí devido a sua importãncia teve no seu pátio 2 triângulos, um para atender aos trens da linha auxiliar, bitola métrica, e outro para os trens da linha do centro da EFCB, bitola de 1,6 metros "larga".
A linha auxiliar da central/leopoldina foi devorada pelo tempo, e junto com ela seu triângulo de reversão.
O da linha do centro ainda existe, porém com uma função bem menos nobre, hoje opera como um "bota-fora", uma local onde o lixo removido das linhas é descarregado.
Durante anos após a desativação da tração a vapor, até meados da década de 90, a ferrovia deu uso a esta parte do pátio, continuaram a ser feitas ali as reversões de trens de serviço, do barrinha , e inspeção de TUEs - trens unidade elétricos.
Como curiosidade, quando se deciddiu contruir a variante Japerí-Brisamar (finalizada em 1974), a mesma começou a ser construída a partir da ponta deste triângulo em direção ao rio Guandú, chegando a abrir uma linha até as margens do rio. Percebendo que a nova variante para tráfego de minério sofreria interferência dos TUEs da linha de subúrbio, que utilizam o pátio de Japerí, e até mesmo a inconveniência de atravessar o centro urbano do então distrito de Nova Iguaçu, ao invés de partir de Japerí a RFFSA mudou o ponto de saída da linha para Guedes Costa (Km 64), a placa de inauguração da variante inclusive fica na estação de Japerí.
Após isso a linha até a margem do Guandú foi usada como bota-fora, enquanto o trecho da linha junto ao pátio de japerí era utilizado para as reversões e foi aparelhado para apoiar a manutenção dos TUEs da Divisão Especial de Subúrbios da RFFSA.

 A área do triângulo da central, as marcas em vermelho marcam o limite da extensão das linhas ainda utilizadas. na parte superior da foto um trem da supervia parte em direção à D.pedro II 
(sentido para direita da foto).

 
 Vista aérea de Japerí, notem a faixa entre o triângulo de reversão e o rio Guandú, e ponte sobre o rio Santanna na esquerda da foto. 
A ferrovia atravessava japerí partindo em 4 direções,(de engenheiro pedreira na direita para Paracambí e B. do Piraí atravessando o rio Santanna, e de Alzejur na parte superior para Três Rios, beirando o rio Santanna para cima) se a variante tivesse prosseguido daí teríamos um dos poucos 5 linhas partindo de Japerí! 
Isso mostra a importância que já teve este entroncamento, e a decadência que o atingiu.

A faixa da linha do bota fora, beirando a av. Ayrton Senna, 
no bairro de Nova Belém, com o final já invadido.
Ex variante para brisamar, hoje só resta um pequeno pedaço mostrado na primeira foto.

Abaixo fotos e vídeo do colaborador lauro (PLAY M>R>S)

Trem entrando para descarregar no "bota-fora". Aos lados a favela crescendo.

Área do triângulo de reversão, com invasões no entorno, este triângulo é interessante, o mesmo não tinha apenas uma linha de entrada e outra de saída, ele recebia várias linhas (3 ou 4) à esquerda, 
e o seu rabicho era formado por um par de linhas.
Hoje restam duas de entrada e uma de saída, e apenas um rabicho

Observem a vala de inspeção no leito da linha, os blocos de concreto a direita eram plataformas usadas na manutenção dos trens.

A estrutura de metal mostrada nas fotos acima era um das torres de iluminação do pátio, 
desativada pela supervia.
A casa invasora ao fundo fica sobre o local onde havia um prédio de madeira pertendente a ferrovia.


As linhas de acesso ao trãngulo eram eletrificada, os cabos foram removidos pela supervia.


Locomotiva saindo com o trem descarregado, pelo lado inferior do pátio (sentido D.pedro II).
Vagões revisados pela supervia (é um milagre)

Sobre a estação de Japerí, e as ferrovias que chegavam na mesma recomendo os seguintes links:


http://www.estacoesferroviarias.com.br/efcb_rj_linha_centro/japeri.htm


Vídeo mostrando a descarga de lixo no triângulo de Japerí.