quinta-feira, 8 de março de 2012

Caterpillar poderá operar em maio

Publicada em 02-03-2012


Empresa americana já recebeu a licença de instalação para a fábrica que será
erguida em Sete Lagoas.

RAFAEL TOMAZ.

O grupo norte-americano Caterpillar pretende iniciar em maio as operações
da fábrica de locomotivas de Sete Lagoas, na região Central do Estado. As
primeiras 21 encomendas já confirmadas começarão ser entregues em outubro. O
empreendimento receberá investimentos de US$ 70 milhões.

As informações são do diretor da Progress Rail Services, controlada da
Caterpillar, Carlos Alberto Roso. Segundo ele, a empresa recebeu nesta
semana a licença de instalação (LI), concedida pelo Conselho Estadual de
Política Ambiental (Copam), vinculado à Secretaria de Estado de Meio
Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). "Com o licenciamento, a
companhia poderá iniciar as obras", disse.

A fábrica irá ocupar um terreno da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA),
controlada pela Vale S/A. A Prefeitura de Sete Lagoas obteve a área por
comodato e a repassará para a Caterpillar.

O diretor explicou que o projeto de engenharia para a adequação dos galpões
já havia sido contratado e está pronto, o que irá facilitar o início das
intervenções na área. Além disso, a Caterpillar já adquiriu os equipamentos
que serão utilizados na linha de produção.

Na unidade serão montadas e fabricadas locomotivas da marca Electro-Motive
Diesel (EMD), subsidiária da Progress Rail Services, empresa do conglomerado
Caterpillar. A planta terá capacidade de produzir aproximadamente 70
máquinas de 4 mil HP de potência por ano.

Em um primeiro momento, grande parte dos componentes utilizados na
fabricação será importada. De acordo com o diretor, a empresa está buscando
formas de desenvolver uma cadeia de fornecedores locais para atender à
demanda da fábrica na região Central do Estado.

O empreendimento será voltado para atender à crescente necessidade interna
de locomotivas, além do mercado da América do Sul. Roso não descartou
futuros investimentos em expansão, uma vez que a planta será instalada em um
terreno de 112 mil metros quadrados, com 15 mil metros quadrados de área
construída.

Estima-se que quando as atividades começarem sejam gerados até 600 postos de
trabalho. Conforme o diretor, alguns funcionários já foram contratados e
estão em treinamento. A unidade será operada pela MGE Equipamentos e
Serviços Ferroviários Ltda, também subsidiária do grupo.

A planta, anunciada no ano passado, estava sendo disputada por outros
municípios brasileiros. Entre os fatores que pesaram na decisão da companhia
na opinião da administração municipal, está a excelente localização da
cidade, servida por rodovia federal, e a proximidade de uma estação de
transbordo para bitola larga.

Além disso, o objetivo da empresa é comercializar com as grandes empresas do
setor ferroviário. E a maioria delas está em Minas, em função do transporte
de minério, aço e grãos, principais vocações do Estado. As negociações
também contaram com o apoio do governo estadual, através do Instituto de
Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), ligado à Secretaria de
Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

Esta será a segunda fábrica de locomotivas em operação no Estado. Atualmente
a General Electric Transportation South America (ex-Gevisa) opera uma
unidade em Contagem (RMBH). Em novembro de 2010, a empresa anunciou que
pretende dobrar a produção de máquinas, mediante aportes de US$ 35 milhões
nos próximos três anos.

http://diariodocomercio.com.br/