sexta-feira, 12 de março de 2010

Conexão direta do metrô será alvo de investigação de agência reguladora (hahahahahahah)

Depois de muuuuiiiito tempo e falatório a AGETRANSP resolveu fingir que vai fazer alguma coisa.
Lembrando que a agência é um órgão de fiscalização do estado e mesmo com essa merda toda acontecendo o estado renovou antecipadamente a concessão do metrô e da supervia.
mesmo sabendo que é papo de coisa para inglês ver segue a notícia:





Agetransp vai cobrar respostas para atrasos e lotação nas composições
Rio - O Conselho Diretor da Agetransp abre hoje processo para tentar pôr fim aos transtornos provocados pela conexão direta do metrô, a Linha 1A. O fim da baldeação no Estácio piorou os atrasos e deixou as composições ainda mais superlotadas. Panes nos trens também ficaram mais frequentes. Em ação civil pública, o Ministério Público Estadual exige o fim da Linha 1A até que haja condições para operação do novo sistema.
Em 23 de fevereiro, a agência enviou à Metrô Rio ofício solicitando soluções para as constantes falhas no serviço, mas o conselho diretor do órgão considerou as respostas ‘insuficientes’. A concessionária alegou, na ocasião, que os problemas de segurança não existiam e não apontou medidas para remediar as falhas citadas.
Cumprindo determinação da Justiça, a Metrô Rio entregou, no fim da tarde de segunda-feira, documento explicando os atrasos nas partidas, a superlotação nos vagões e as panes que afetam o serviço desde a inauguração da Linha 1A. Segundo funcionários do gabinete da juíza Maria da Penha Victorino, o documento foi entregue a menos de 10 minutos do encerramento do expediente, e por isso a magistrada ainda não teria tido acesso às explicações da Metrô Rio.
SUPERVIA NA ALERJ

Ontem, em audiência pública na Alerj, outra concessionária foi alvo de cobranças. Chamada a explicar falhas no serviço, a SuperVia divulgou dados das investigações do ‘trem fantasma’ — incidente de 18 de janeiro, quando a composição das 4h43 do ramal de Japeri se locomoveu por quatro estações sem maquinista.

Segundo dirigentes da empresa, a polícia já possui retrato falado do suspeito de ter dado partida na composição. A Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados confirmou a informação e ressaltou que equipes estão destacadas para tentar localizar o suspeito.

“Quem fez isso foi alguém com fortes conhecimentos na condução de um trem. Somente para dar a partida são necessários pelo menos cinco procedimentos diferentes”, explicou o coordenador de Manutenção de Via Permanente da SuperVia, João Bosco.

Aham... a porca manutençaõ da supervia nada tem a ver com o que aconteceu? um ser misterioso brotou das trevas e fez isso com o trem? será que o João Bosco acredita em papai noel ou vai ganhar o nosso troféu cara de pau desse ano?!