sábado, 10 de outubro de 2009

Passageiros rebatem declaração de Cabral após nova pane de trem

Para quem não sabe, o dono desse blog é pesquisador ferroviário e boa parte das postagens estarão relacionadas a trens e cia. A notícia abaixo é do jornal extra.

Tensão nos trens

Os problemas nos trens da Supervia não dão trégua nem no fim de semana. Ontem, em pleno sábado, depois de uma semana cheia de confusões, houve tumulto na estação de Ricardo de Albuquerque, por volta das 7h30m, depois que o trem do ramal de Japeri, que seguia para Deodoro, parou por 33 minutos.Revoltados, os passageiros, que já foram chamados de vagabundos e vândalos, pelo governador Sérgio Cabral, tiveram de desembarcar, caminhando pelos trilhos.
Irritados, eles rebatiam as declarações do governador. Bruna Silva da Costa, de 21 anos, grávida de oito meses, passou mal durante a confusão, e reclama ainda de não ter recebido ajuda por parte dos agentes da Supervia:

— "Vândalo e vagabundo" não acordam às seis da manhã para ir ao trabalho. Nem a PM nem a Supervia me ajudaram, quando passei mal e cheguei a desmaiar. Foram esses "vândalos" que me socorreram — ironizou Bruna, criticando as declarações do governador, afirmando ainda que "vândalos e vagabundos não acordam às 6h de manhã de sábado para pegar trem".
Durante a confusão, cinco pessoas passaram mal e foram atendidas por uma ambulância do Samu, entre elas Bruna Silva da Costa, de 21 anos, grávida de oito meses. O clima era de tensão. Segundo os passageiros, o maquinista teria fugido. De volta à estação, os passageiros não conseguiram a devolução do dinheiro, mas receberam um vale para ser usado em cinco dias.

— Deram um vale e me mandaram ir andando até Deodoro — contou a doméstica Cecília de Souza, de 56 anos, de Nova Iguaçu.

Segundo PMs do 14 BPM (Bangu), alguns usuários quebraram a placa de sinalização e um vaso de planta, depois da pane no trem. Quatro viaturas reforçaram o policiamento no local, e a confusão foi contornada rapidamente.

Pela manhã, minutos antes da confusão em Ricardo de Albuquerquer, os passageiros que passavam pela Central ouviram uma mensagem, pelo alto-falante, dizendo que ela estava trabalhando para apurar os problemas ocorridos nos últimos dias para melhor servir aos clientes.