quarta-feira, 29 de abril de 2015

Calaboca em Calaboca



PF investiga crime contra meio ambiente após antiga estação de trem ser demolida em área de proteção
Prédio construído em 1940 fazia parte da Estrada de Ferro Maricá e estava dentro do Parque Estadual da Serra da Tiririca

POR PAULO ROBERTO ARAÚJO
21/04/2015 8:00 / ATUALIZADO 21/04/2015 9:05


A área antes ocupada pela estação deCalaboca, no início da estrada de Itaipuaçu, foi cercada, e uma porteira foi instalada para impedir o acesso - Pedro Teixeira / Agência O Globo

NITERÓI — Parte da história transformada em pó. A direção do Parque Estadual da Serra da Tiririca (Pest) registrou queixa na delegacia da Polícia Federal de Niterói para identificar quem derrubou a antiga estação de Calaboca, em Itaipuaçu, e que fazia parte da extinta Estrada de Ferro Maricá, desativada em 1964. Assim que for identificado o responsável, o caso será denunciado ao Ministério Público, e o infrator estará sujeito ao pagamento de multas aplicadas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea): a estação estava numa área que foi anexada ao parque em 2007.
O diretor do Pest, Jhonatam Ferrarez, recebeu uma denúncia anônima sobre a demolição do prédio, construído em 1940. Ele foi ao local, na Estrada de Itaipuaçu, a pouco mais de 200 metros da RJ-106, e constatou o crime ambiental. A antiga estação ficava em meio a várias mangueiras. O local foi cercado, e uma porteira foi instalada há pouco tempo. Todos os vestígios da estação foram retirados do local.
— A estação virou pó. Cometeram um crime ambiental, porque a estação estava dentro do parque, e um atentado contra o patrimônio, devido à importância histórica da estação. O parque é uma área de proteção integral — explicou Ferrarez.

FERROVIA É DE 1887, Construída em 1940, a estação de Calaboca fazia parte da extinta Estrada de Ferro Maricá, que ligava Niterói a Cabo Frio.

A Estrada de Ferro Maricá teve seu primeiro trecho inaugurado em 1887. No seu auge, ligava Niterói a Cabo Frio, levando passageiros e carga para Maricá, Saquarema, Araruama, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio. Com a desativação da via férrea, os trilhos foram retirados, e alguns trechos, principalmente ao longo da RJ-106, foram invadidos.
A demolição do prédio foi o assunto que dominou as últimas reuniões do Conselho Consultivo do Pest. Na última sessão, foi aprovada uma moção de repúdio. Cópias do documento serão enviadas para a Polícia Federal e para o Ministério Público, que já foi informado a respeito do problema.
— Os conselheiros do parque estão indignados e prometem reagir — garante a ambientalista Alba Simon.
A prefeitura de Maricá informou, por meio de nota, que o município está tentando identificar os responsáveis pela demolição por tratar-se de uma construção histórica. Uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente foi ao local na quinta-feira para uma visita técnica, com o objetivo de identificar quem demoliu o imóvel.
— A estação foi literalmente varrida do mapa. Não sobrou um tijolo sequer, como se os mentores da destruição quisessem se livrar de qualquer prova material de que ali existiu uma estação — lamentou o ambientalista Cássio Garcez, do grupo ambiental Ecoando, que promove caminhadas ecológicas em Niterói e Maricá.