sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O expresso imperial e a quebra de um monopólio


A obra de duplicação da BR-040, no trecho Rio-Petrópolis, que deveria reduzir em cerca de 15 minutos o tempo de viagem entre a capital fluminense e Petrópolis.
Em dezembro, a empresa Concer, que administra a via, obteve licença do Ibama e havia prometido iniciar as obras em janeiro deste ano. Cinco meses depois, no entanto, nada foi feito. A Concer aguarda um último aval da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para iniciar os trabalhos. A ANTT afirmou em nota que “o assunto, em face da necessidade de aportes de recursos não previstos em contrato, está em estudo” no órgão. A agência informou ainda que enviou ao Ministério dos Transportes “algumas alternativas que estão sendo estudadas”. Agora, a ANTT diz que aguarda uma resposta do ministério “para dar prosseguimento ao caso”.


De acordo com o presidente da Concer, Pedro Jonsson, falta dinheiro para realizar a obra e, por isso, o Ministério dos Transportes estuda maneiras de autorizar o início da duplicação. — Ainda aguardamos uma posição do governo, faltaram recursos no edital feito. Para que essa obra seja paga, acredito que precisaremos aumentar o tempo de concessão em mais cinco anos — disse Jonsson. A Concer administra a BR-040 desde 1996 e tem contrato com a União até 2021. O valor aproximado da duplicação é de R$ 830 milhões e, após iniciadas, as obras devem durar cerca de 36 meses.
Ou seja a Concer quer que o governo pague a obra de duplicação da rodovia que foi privatizada, e que ja deveria ter sido duplicada há tempos.

 O leitor deve estar curioso afinal de contas porque uma página dedicada a ferrovia fala tanto na obra de uma rodovia? São dois modais diferentes, e eu até diria, incomparáveis, mas vamos lá:

1) O trem visa atender principalmente os que trabalham no Rio, ou que vem sempre a Petrópolis, inclusive turistas.

2) A Rodovia vai atender não só aos moradores de Petrópolis, mas também aos que se deslocam no eixo da BR-040, inclusive caminhões de carga, coisa que o trem sozinho não irá oferecer, no entanto com o trem retira-se carros e ônibus da BR040, já que a massa se deslocará em direção a ferrovia.
As restrições ao tráfego de caminhões diminuem, o que melhora as condições para o fluxo inclusive além de Petrópolis.

3) Os custo da duplicação de 25 km de rodovia, estão orçados em quase um bilhão de reais. A Grosso modo, os custos para repor os 6 km de trilhos na  Serra, comprar os trens novos e modernos, e indenizar as familias que invadiram a área, estão orçados em apenas R$ 70 milhões. 
4) A estrada vai cortar uma área ladeada por regiões de proteção ambiental, o impacto ambiental da ferrovia é muito menor.



O projeto ferroviário, por apenas 8,5% do que se propoem para a rodovia e sem o enorme custo ambiental. Não se reaiza entre outrascoisa devido ao lobby para a liberação de verbas públicas pelo governo federal para a Concer..