quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Linha auxiliar pode ser usada como ferrovia escola

Paraíba do Sul se prepara para ser a cidade da ferrovia
Autor: Luana Lazarini

Com a chegada da MRS Logística em Paraíba do Sul no próximo ano, resultando

na construção da maior oficina de trens da América Latina, o município se
prepara para se tornar a cidade da ferrovia. Visando qualificar
profissionais para trabalhar na empresa e em outros segmentos do mercado
ferroviário, uma universidade com ênfase em ferrovia será inaugurada no dia
10 de fevereiro de 2012 em Paraíba do Sul: a UniCepefer .

Com um investimento de aproximadamente R$ 1 milhão, a instituição

funcionará no Colégio Sul Fluminense. De acordo com o diretor executivo da
Cepefer, o engenheiro Manoel Mendes, todas as salas de aulas estão sendo
reformadas e equipadas com aparelhos de alta tecnologia. “Nosso intuito é
fazer da universidade uma escola de primeiro mundo”, declarou Manoel Mendes.

O Centro de Estudos e Pesquisas Ferroviárias foi fundado em 2005 e nesses

seis anos já formou mais de 1.500 engenheiros ferroviários. A princípio, o
Cepefer de Paraíba do Sul irá oferecer 20 cursos técnicos e cinco cursos de
graduação: transporte ferroviário de cargas, transporte ferroviário de
passageiros, logística de transporte, gestão industrial e gestão de pequenas
e médias empresas.

Através de uma parceria com o governo municipal, 10% dos alunos terão

direito à bolsa integral. Para o secretário de Indústria e Comércio, Márcio
Simões de Assis, a chegada da UniCepefer em Paraíba do Sul representa um
marco para a cidade e para a região Centro Sul Fluminense.

“O transporte ferroviário tem se mostrado uma importante alternativa para

desafogar as rodovias e os aeroportos. No entanto, não há mão de obra
qualificada para trabalhar nas ferrovias. Nosso intuito é formar
profissionais capacitados para atuar em grandes empresas deste setor, como a
MRS e a Vale”, revelou o secretário de Indústria e Comércio de Paraíba do
Sul.

De acordo com o engenheiro Manoel Mendes, a previsão é que o modal

ferroviário brasileiro, que hoje está em 25%, seja de 35% até o ano de 2025.
“O investimento tanto do setor privado quanto do governo federal no
transporte ferroviário cresceu consideravelmente nos últimos dez anos.
Grandes ferrovias, como a Transnordestina e a Norte-Sul, estão sendo
construídas no Brasil”, afirmou.

Ainda segundo o engenheiro ferroviário, o Brasil ainda é um país

rodoviarista, em que as pessoas vêem os trens como um veículo velho,
antiquado. “O brasileiro tem esse paradigma. Mas não faz sentido, por
exemplo, transportar cargas de Porto Alegre a Manaus de caminhão. Este tipo
de transporte é para curtas distâncias. O trem é para distâncias maiores”,
destacou Manoel Mendes, acrescentando que para os países do primeiro mundo a
ferrovia é sinônimo de desenvolvimento”, disse Manoel Mendes.

A primeira Ferrovia Escola do Brasil


O conteúdo adquirido nas salas de aulas da UniCepefer será praticado na

Estação de Paraíba do Sul, que funcionará como a primeira Ferrovia Escola do
país. “Os profissionais sairão da universidade altamente preparados para
entrar no mercado ferroviário. No curso de maquinistas, por exemplo,
utilizaremos tecnologias que simulam todas as situações que podem ser
encontradas por aqueles que pilotam uma locomotiva”, declarou o diretor
executivo da Cepefer, Manoel Mendes.

O trecho de 14 km, além de servir como um laboratório para os alunos, será
um local onde as empresas ferroviárias poderão testar seus novos produtos. A
escolha do local se deve ao fato da Estação de Paraíba do Sul ser um dos
poucos lugares do Brasil que oferece um trecho de ferrovia sem fins
comerciais.


Conforme o secretário de Indústria e Comércio, Márcio Simões de Assis, a

tradicional Maria Fumaça continuará existindo como um meio de atividade
turística. “Acreditamos que essas atividades em torno da ferrovia irão
revitalizar a economia de Paraíba do Sul”, destacou.

http://entreriosjornal.com.br/noticia/24230-paraiba-do-sul-se-prepara-para-ser-a-cidade-da-ferrovia



Uma boa forma de você treinar novos maquinistas numa linha exclusiva, sem se preocupar com horário riscos envolvendo outros trens e mais.
O candidato já que sair da ferrovia escola com uma noção razoável do que é conduzir um trem e depois vai apenas passar por digamos, uma "especialização" da ferrovia que o contratar. 

O mais interessante é que isso me parece ser uma boa parceria para rachar os custos de manutenção da via entre a "universidade" e o trem turístico de Paraíba do Sul (trem da estrada Real).



Acima material rodante do trem da estrada Real, que deve ser utilizado 
pela prefeitura de Paraíba do Sul no projeto

Estação de Werneck, uma das estações do trecho Cavaru- Três Rios, do trem da estrada real.

Traçado aproximado do trecho da linha auxiliar usado no trem da etrada real.