domingo, 20 de dezembro de 2009

Agora é oficial: Barrinha não volta a circular

Trem que ligava Baixada à Barra do Piraí não volta a circular
POR RICARDO VILLA VERDE, RIO DE JANEIRO
Rio - A volta da circulação do trem de passageiros conhecido como Barrinha, que ligava Japeri, na Baixada Fluminense, a Barra do Piraí, no Sul do estado, foi descartada pelo governo do Estado. As composições que haviam sido reformadas para voltar a circular no trecho serão deslocadas para o ramal de Guapimirim, que será operado pela Supervia. Por isso, os trens já estão tendo as bitolas alteradas.
A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes. "A Supervia está mudando a bitola deles (trens) porque o Barrinha não pôde ser utilizado por causa do transporte de carga da MRS", explicou o secretário.
Segundo Lopes, não havia como dar previsibilidade de horário para circulação do Barrinha, porque o ramal entre Japeri e Barra do Piraí é utilizado extremamente pela MRS para transporte de cargas. "Os trens do Barrinha agora vão servir à população de Guapimirim", explicou o secretário.
A volta do Barrinha aos trilhos chegou a ser anunciada para 2007, mas entraves com a MRS Logística, concessionária do ramal da antiga Central do Brasil desde 1996, impediram o retorno. O trem parou de circular em setembro de 1996, após um grave acidente que causou a morte de 15 pessoas e deixou 60 feridos. Foi a maior tragédia do sistema ferroviário dos últimos 30 anos. O Barrinha, que transportava 90 passageiros, foi atingido a 700 metros da estação de Japeri por um trem de carga que desceu a serra desgovernado. Moradores das cidades atendidas pelo trem protestaram contra a paralisação, mas o Barrinha nunca mais voltou a circular.
http://odia.terra.com.br

Minha opinião

O barrinha só volta se houver mobilização popular maciça.
A loco 7115 que já havia sido reformada para fazer o trem foi encaminhada de volta para a supervia.
Na verdade o que barrou o trem não é incompetência para operar, a MRS perde dinheiro operando trens de passageiros, a serra do mar já trabalha próximo a capacidade máxima do trecho, a cada trem de passageiro na via há uma janela a menos de circulação para os trens de minério, o custo indireto estimado pela MRS é da ordem de 23milhões de reais ao ano.
Além disso, o governador do estado (Sergio Cabral) é um neoliberal, tem uma mentalidade de loteamento dos serviços públicos sem contrapartidas para a população, a supervia usa os equipamentos que recebeu do estado sem dar manutenção pesada, agora ela precisa de trens reformados pelo estado para poder continuar a operar com o sistema a beira de um colapso.
Então em um único lance o estado mata o barrinha, agrada a MRS e dá de presente para a supervia um trem inteiro reformado. Além de evitar os cerca de 26 milhões de reais necessários em investimentos para a reforma de estações e de 6 milhões para recuperação de material rodante já degradado após a reforma.

A MRS só operará o barrinha se alguma obra de infra-estutura for feita pelo governo de tal forma a aumentar a capacidade de escoamento da MRS a um ponto que as janelas de circulação já estejam liberadas sem a necessidade de impactar a movimentação da carga. Mas nós sabemos que isso não vai acontecer.


TREM REFORMADO PARA SER O BARRINHA DURANTE O GOVERNO DE ROSINHA MATHEUS. AGORA FOI DOADO PARA A SUPERVIA PARA COBRIR A FALTA DE MATERIAL CAUSADA POR FALTA DE MANUTENÇÃO. A LOCOMOTUIVA SE ENCONTRA EM OPERAÇÃO NOS TRENS DE SERVIÇO JÁ DEGRADADA COM A FALTA DE MANUTENÇÃO E OS CARROS PERMANECEM ABANDONADOS.