domingo, 26 de setembro de 2010

Sumiu?

As fotos abaixo mostram um tue da série 900 abandonado no pátio de mangueira, no Rio de Janeiro.
Até então não seria nada demais, se não o fato de este trem ter sido desativado pela supervia enquanto se soltam fogos falando do novos trens que ainda não chegaram.
O objetivo é mostrar uma prática comum entre as concessionárias de bens públicos, o roubo programado.
O processo é relativamente simples, se abandona um bem do estado em uma situação de risco de pilhagem, normalmente esses bens eram operacionais mas foram deteriorados nas mãos das empresas e pouco antes de serem abandonados, estes bens são pilhados pelas concessionárias em busca de materiais de alto valor para revenda, sucata ou peças reaproveitáveis.
Logo em seguida o material começa a sumir, as vezes num piscar de olhos outras aos poucos.
Mesmo vendo que o patrimônio está sendo roubado, a concessionária não toma nenhuma ação para protege-lo, ou tão pouco comunica as autoridades o que está acontecendo.
Aí vem o pulo do gato, depois que terceiros ou funcionários da própria empresa terminam de remover as partes que interessam (saquear o bem) a empresa se manifesta junto ao estado, como vítima da falta de segurança, e repassa os custos da segurança que teria de oferecer as tarifas. Isso quando o estado não libera recursos públicos para cobrir o estrago feito.

Assim a empresa retém peças de reposição a custo zero, e ainda acaba sendo de uma forma ou outra paga pelo contribuinte para cobrir o "prejuízo" que ela mesma causou, como num golpe do seguro.
Seguem as fotos, tiradas em três dias diferentes.

Logo após ser largado no pátio, nota-se que ainda não foram mexidas nem as janelas, mas já veio das oficinas com componentes ausentes, como os pantógrafos.






Nas três fotos acima, alguns dias depois, já sem algumas esquadrias


 
Pátio da Mangueira, notem as grades do freio dinâmico já arrancadas e colocadas sobre a cabine


O tapume ao fundo e o amv no pátio, fazem conexão entre a linha da supervia e do metrô, esta conexão foi montada durante a obra da estação cidade nova do metrô, que bloqueou a conexão existente.

 Observem que as caixas de fusíveis agora arrombadas.

 Grade de freio dinâmico sendo utilizada como passagem entre os vagões, para facilitar a ação dos saqueadores

Em nenhum momento foi visto quaisquer segurança da supervia no pátio. Outro detalhe a chave do metrô, dentro do pátio da supervia.

Todas as fotos da página, Victor A. Silva